sábado, 27 de agosto de 2011

UMA CONVERSA

           A um amor pelo qual eu posso ser grata, é o seu amor por mim.  Sinto muito sua falta, quando chega o Sábado, sei que mais uma semana se foi e a saudade de você só está aumentado, e sei que por enquanto não será saciada, pois você hoje mãe faz parte das minhas lembranças... Sinto falta do seu cheiro... Nunca imaginaria falar isso.

Não consigo acreditar que você se foi, que isso aconteceu de verdade, queria que fosse um daqueles pesadelos, onde sempre eu acordava e tudo o que tinha acontecido ficava para trás.

Sei que você me amava muito, sei que nosso amor era tudo que tínhamos. As circunstâncias da vida fez com que nos uníssemos cada vez mais; Quando o pai foi para Portugal, quando fomos morar na casa da tia Izabel, quando tivemos que vir para Campinas; Quando começamos a trabalhar juntas, quando começamos a explorar a cidade descobrindo coisas novas; Quando começamos a trabalhar nas ruas empoeiradas e esburacas... Quando a doença tomou todas suas forças e não podia mais trabalhar... Aqui sempre vai ter poucas linhas para tantos momentos vividos ao seu lado.

Quando você começou a sentir as dores e a fraqueza dominar seu corpo, foi muito estranho para mim, pois a sensação que tive ao ir trabalhar sozinha pela primeira vez foi de solidão. As ruas se tornaram muito silenciosas, pois sua voz não estava lá. Em alguns momentos eu olhava para os lados procurando você, mas não encontrava seus olhos. Essas foram às primeiras mudanças de tantas outras que aconteceram.

Hoje minha vida é silenciosa...

Ainda quando ligo para o pai sempre espero no fundo do coração que você vai querer falar comigo, perguntar como foi meu dia, o que aconteceu na faculdade e nós conversarmos por horas...

As lagrimas estão transbordando dos meus olhos...

Você era minha melhor amiga! Ainda bem que isso eu consegui falar para você.

O meu desejo agora mãe que esta dando forças para continuar é a esperança da volta de Jesus... Pois quero te ver de novo.

“Ele enxugará dos olhos deles todas as lagrimas. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor. As coisas velhas já passaram”. Apocalipse 21: 4 (NTLH).

Vou te encontrar de novo mãe!

4 comentários:

  1. fique muito emocionado pela historia
    não pare que sirva para muitas pessoas
    o que é o amor de uma (o) filha seja eterno
    bjs e abrçs

    ResponderExcluir
  2. NÃO FIQUE TRISTE NÃO AINDA BEM QUE VC TEM PLENA CERTEZA QUE IRA ENCONTRAR SUA MÃEZINHA LÁ NO CÉU....SABE TENHO TANTO MEDO TE PERDER MINHA MÃE... UM ABRAÇO!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Valeu gente por ter comentado no blog e por estar dando força para continuar a escrever... Beijos.

    ResponderExcluir