sábado, 20 de outubro de 2012

DUAS VERSÕES PARA UMA MESMA HISTÓRIA - PARTE 3


Meu Primo Wanderson de pé, minha avó Francisca, eu de rosinha e meu primo Welingthon.

Era manhã de uma quinta-feira, eu e minha mãe estávamos conversando, deitada na cama. O telefone tocou, eu peguei e vi o nome do meu tio Marcos. Entreguei para minha mãe atender. Ela estava com um sorriso nos lábios, pois seu irmão estava na linha telefônica. A conversa foi mais ou menos assim.
 – Oi Marcos!
- Oi, você esta sentada?
- Estou deitada conversando com o bichinho. Por que Marcos? – Até aquele momento pensávamos que era uma fofoca das quentes. Minha mãe regalou os olhos em minha direção e apertou os lábios. Estava pronta para receber as novidades.  
- A mãe faleceu hoje cedo.

Minha avó Francisca com seu netos: De short vermelho Welingthon, eu, no colo da minha avó o Pablo,  Gullit e  Wanderson com um pássaro no ombro.


Quando minha mãe terminou de ouvir sua feição já não era a mesma, seu olhar estava paralisado em mim, sem movimento. Eu sabia que a conversa não se tratava de fofoca e sim de algo muito serio.  Eu gesticulei para ela, o que foi? Ela não me respondeu. Pronto sabia que era noticia ruim.
Depois que a ligação terminou minha mãe nos contou que a vovó Francisca ou “Franchisca” com eu e o Diogo começamos a chama-la, tinha falecido. Não sei como minha mãe se sentiu, só sei que ela chorou e não pronunciou muitas palavras durante o dia. Nós todos ficamos triste. Ela recebeu a ligação do meu primo logo depois.
Eu, só entendi de verdade a ausência da minha avó quando voltei para Rondônia. Até então era como se ela tivesse viva, me esperando voltar. Simplesmente longe. Eu já tinha muita saudade dela. Ainda mais que alguns meses antes, ela veio em Campinas me visitar, foi sua primeira visita e a última. Foi uma despedida, é assim que gosto de lembrar. Ela veio disser um até logo. Porque guando Jesus voltar nas nuvens do céu, os mortos em Cristo ressuscitaram para passarmos a eternidade juntos. No céu não haverá mais choro, mas muita alegria. Estaremos todos juntos outra vez.
Isso conforta nossa família. Acalenta nossos corações. Pois tudo que Jesus prometeu ele cumpriu, e agora não vai ser diferente.  Estamos aguardando a volta de Jesus com muita ansiedade.

2 comentários:

  1. Falar sobre perda para mim é sempre complexo, porque há um ano eu perdi meu avô, que era mais meu pai do que tudo. É realmente complicado, principalmente quando te informam por telefone, que aconteceu comigo. Nós ficamos meio estagnados, sem acreditar, e só cai a ficha depois de um tempo, né?
    Beijinhos
    Segredo de um Mundo 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho complexo Bruna, mais para mim esses momentos são libertadores.

      Beijo

      Excluir