segunda-feira, 1 de outubro de 2012

MEMÓRIA DESORDENADA



<<<<Um flash de algum dia do meu passado, quando eu ainda era muito pequena, foi ativado na minha mente, não sei qual era minha idade, se chutasse agora provavelmente iria errar, só sei que era um dia de sol quente, como quase todos os dias do interior de Rondônia, estava na casa da minha prima Milheni, ela estava dançando com uma amiga, tomavam banho de piscina, não, acho que era de mangueira, não sei ao certo, tocava no radio uma música da Spice Girls, Yo, I'll say you what I want, what I really really want So tell me what you want, what you really really want I'll tell you what I want, what I really really want So tell me what you want, what you really really want I wanna, I wanna, I wanna, I wanna I wanna really really really wanna zig-a-zig, aho...” o papagaio resmungava alguma coisa junto com a música. Agora fiquei em dúvida se tinha papagaio nesta época ou foi em outra. Tudo acontecendo no fundo da casa da minha tia Maria. Eu estava sentada no banco feito entre duas colunas, era de madeira sem nenhuma pintura. Eu gostava de ver minha prima se divertir, era uma visão de uma criança, no caso eu, para uma adolescente, minha prima. Eram fases diferentes, mas que se ligavam quando momentos como esse existiam.>>>>>

Memórias é uma coisa louca, ela não é ordenada, nem totalmente confiável. Nosso cérebro vive fazendo associações e misturando fatos, cada ano que se passa suas memórias ganham nova cara, novo sabor.
Parece que o cérebro funciona como um fósforo, quando uma faísca é formada na lixa da caixinha a chama reluz, fica aceso por um tempo, se você não usá-la naquele momento de combustão, a chama irá se apagar. Assim você precisara pegar outro palito para riscar novamente, pois aquele já foi usado e não serve mais. 
Não sei se na sua mente as memórias funcionam deste jeito, mas na minha é muito parecido com esse exemplo acima. No momento que a memória foi ativada eu preciso parar e escrever, por que se não, eu a perco dentro de mim, e às vezes não adianta parar e ficar pensando, não funciona deste jeito, ela não é ativada quando simplesmente eu quero.  Uma coisa precisa ligar a outra.  

Memórias, minhas memórias... Meu passa tempo preferido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário