quinta-feira, 11 de outubro de 2012

MEMÓRIAS CONTADAS

Não sei se na sua família é comum as pessoas contarem suas memórias, aquelas histórias que passam de pai para filho, na minha sempre foi comum. Tanto minha avó Ester, meus tios e tias, como meus pais sempre falavam como era quando eu era criança, ou quando meu pai era criança. Cresci pensando que sabia de todas as memórias que meu pai tinha da minha infância, mais essa semana eu me surpreendi com várias que eu nunca tinha ouvido falar. Isso tudo é muito louco, com vinte e três anos nas costas e só agora eu descobri que quando era pequena não gostava de repetir palavras (fala sério, poderia ter continuado assim). Ele falou que quando dava voltas comigo de bicicleta e cansava, dava aquela parada para retomar o fôlego, ai eu falava "de novo", ele dava mais uma volta, quando parava, eu dizia "outra vez", depois "mais uma volta", assim até ele não aguentar mais e voltar para casa.
Eu não sabia disso e nem das voltas de bicicleta, só sabia que gostava de ir com ele para fazer exercícios, gostava de correr, meu pai sempre me levava para esses momentos juntos. Não tenho nada disso guardado na minha mente, eu só ouço as suas lembranças. 
O que fez ele lembrar destas coisas, acredito que seja a convivência com meu irmãozinho. Eu achei surpreendente a forma como meu pai faz o Jhone dormir, ele deita o Jhonatan e pega na perninha e balança até ele dormir, minha reação quando vi ele fazendo isso pela primeira vez, foi de espanto, olhei para ele e falei "pai a criança não vai dormir assim", para minha surpresa ele retribui o olhar e falou "Ele gosta, e você também gostava, eu fazia você dormir assim". Eu literalmente fiquei de boca aberta. Espanto total. Mesmo ele falando que o Jhone gostava eu fiquei meia desconfiada e fiquei esperando ele chorar, para eu poder pegar e colocar no colo e fazê-lo dormir. Não demorou muito e sabe o que aconteceu? O Jhone capotou. Fiquei pasmada. Surpreendente como a gente acostuma com tudo.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário