terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Aniversário quente!





O nosso projeto esta em ação mais uma vez. A história a seguir foi escrita pela Regina Pimentel, quer conhece-la clique AQUI

Faço aniversário dia 22 de junho (Agora que já sabem, podem ir comprando os presentes... hehe). Nunca tive festa de aniversário quando era pequena e isso me fez repudiar as festas depois de entender que bolo e refrigerante não combinam e as pessoas sempre saem da sua festa reclamando.
Sendo assim, todos os anos a minha família juntava... Lenha (pensou que era dinheiro né? Rs) e fazíamos uma fogueira pra assar batata, peixe e mandioca, já que o mês era de frio. Convidávamos os parentes mais chegados, os vizinhos e alguns poucos amigos. Só ia quem realmente gostava de ficar ali jogando conversa fora enquanto as crianças (incluindo eu) corriam em volta do fogo e se divertiam.
Em um determinado ano, o frio estava muito intenso e o pai decidiu não convidar ninguém, até porque poucas pessoas sairiam de casa aquele dia. Então, tivemos a brilhante ideia de fazer a fogueira dentro de casa!
Arrumamos a tampa de um tambor grande, alocamos no chão do quarto dos meus pais (que era carpetado), colocamos as lenhas em cima e acendemos.
Ficamos todos ali aconchegados na fogueira até acabar as lenhas e o fogo se apagar. Dormimos os 4 juntos em um mesmo colchão e com todos os cobertores, um por cima do outro, bem quentinhos.
Quando acordamos de manhã e mãe foi tirar a sujeira das cinzas que ergueu a tampa do tambor, ela exclamou:
- Sabia que isso não ia dar certo!
Daquele dia em diante tínhamos um buraco redondo e enorme no carpete do quarto da minha mãe. O que a gente chamava de design inteligente e único! rsrs

sábado, 16 de fevereiro de 2013

ACREDITAR...


Hoje acordei com uma dor no estômago... Não vão pensar que é de aflição ou coisa parecida, é porque comi de mais ontem.
Passei três anos odiando algumas pessoas e sempre julgando antecipadamente certas situações e amizades devido à chicotada que levei da vida...
Mas comunico que isso passou... Decidi ACREDITAR de novo, acreditar que nem sempre as coisas irão acontecer como eu espero, que nem sempre irão gostar de mim, que falsidade sempre vai existir, que amigos verdadeiros existem, que amar as pessoas faz bem, que mentiras sempre serão contadas, que amigo verdadeiro nem sempre concorda com você em tudo, que levar chicota da vida faz você entender as coisas mais rápido, que desejar mal as pessoas volta com mais força, acreditar que a inveja faz parte do mundo desde sempre, que ninguém vive sozinho, que as coisas não acontecem por acaso, que lutar pelos seus sonhos é o combustível da vida.

Hoje essa dor no estômago não é permanente é só um mal estar que vai passar quando eu menos esperar...



sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

AMNÉSIA


-Amor, me ajuda vai eu quero parar de comer doces ou doces que não contêm valor nutricional (isso é continuar podendo comer sem sentir culpa)...

-Claro amor  vou te ajudar não comprando mais... - Diogo fala com um sorriso no rosto.

Essa é aquela hora que você percebe que falou asneira de novo e bate aquele arrependimento, mas você engole a vontade de falar "esquece vai é que deu um momento de pura insanidade".

-Tá e quando eu esquecer que te falei isso, por favor, me lembre. - Essa palavras foram faladas com um gosto amargo na boca.

Tudo isso acontecendo na sexta, dormi acordei e tive amnésia ou é assim que prefiro referir minha vontade louca de correr para o mercado e comprar todo chocolate e bolachas que eu puder trazer.
Antes de o relógio marcar meio dia lá estava eu comendo um bombom, me deliciando como uma criancinha, melhor, como uma viciada.

Depois de terminar de comer a única coisa que fica na sua mão é a embalagem e ela grita para você... VIU VOCÊ NÃO ME RESISTE.
Que saudades daqueles tempos da adolescência onde tudo parecia mais simples...

- Mãe decidi que não vou comer  mais carne, vou virar quase vegetariana (das carnes só peixe) e não vou comer mais doces, nesta época acho que ela pensou que não duraria nem uma semana essa minha loucura, mas apoiou.  Por incrível que pareça sou essa quase vegetariana até hoje, isso faz 7 anos e doces esses eu só resisti 3 anos, depois comecei a comer algumas coisas ainda selecionadas, até chegar a isso que sou agora RS.

Mas  ainda insisto que hoje  foi o último dia como chocólatra e amanhã eu serei uma outra pessoa... Tomara que a amnésia não me encontre de novo.


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

MEME - Literário



É com imenso prazer que hoje eu irei responder um meme que recebi da Giovanna do blog Sonhando com Livros.

Regras do Meme: 


Citar o nome e o link de quem te enviou; OK!

Indicar 2 livros (no minimo) que leu em 2012 e gostou; OK
Listar 3 livros (no minimo) que deseja ler em 2013; OK
Oferecer para mais 10 blogs ou pessoas e avisá-los. OK

Livros que eu li em 2012 e gostei:


A farsa – Christopher Reich

O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Brönte
A Revolução dos Bichos – George Orwel
O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

Livros que eu quero ler em 2013:


Guerra e Paz – Lev Tolstoi

Aonde a Gente Vai, Papai? – Jean-Louis Fornier
Risco Calculado – Bem Carson
Desmemórias 2 – A lição que ficou – Elias Boaventura


Blogs que eu indico:


http://like-books.blogspot.com.br/
http://fernandabizerra.blogspot.com.br/
http://entreletras-e-pensamentos.blogspot.com.br/
http://poderdadelicadeza.blogspot.com.br/
http://quartodeegarota.blogspot.com.br/
http://www.leiturasdapaty.com.br/
http://modaeeu.blogspot.com.br/
http://estranhomundinhoinsano.blogspot.com.br/
http://retalhosnomundo.blogspot.com.br/
http://estoulendoo.blogspot.com.br/

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

FUI TAGUEADA


Fui tagueada pelo blog da Mônica Araujo.

Vamos as perguntas...

1- Como escolheu o nome do Blog?

Eu decidi criar um blog para falar de sentimentos e sobre minha mãe, então eu e o Diogo escolhemos o nome Memórias de uma Anônima, pois as histórias que iriam e são contadas aqui são  de pessoas que não pisaram na calçada da fama.

2- Quanto tempo se dedica ao blog?

Bom eu gosto muito deste blog, então praticamente 4 vezes na semana eu estou aqui conectada, respondendo comentários, escrevendo... 

3- Já teve algum problema com comentários de anônimos no blog? O que?

Não... No inicio eu só tinha comentários anônimos, mas todos bonitinhos e educados... Agora que tenho vocês também, amigos blogeueiros esta difícil aparecer um anônimo.

4- Você se inspira em outro blog?  Qual?

Inspiração para escrever aqui eu não tenho nenhum blog especifico, mas para a criação deste blog eu tive a inspiração de uma amiga, a Bela do blog Para Beatriz.

5- Quanto tempo você está na bloguesfera?

Hum, uns dois anos. Mas ainda sou aprendiz... RS.

6- Qual blog visita todos os dias?

Agora o bicho pegou, eu não sei, visito vários...

7- Quantos blogs visita por dia?

Nossa essa é difícil, mas eu acostumo visitar uns 7 blogs por dia...
Por dia. Nem sempre são os mesmos.

8- Quantos livros lê por mês?

NO ANO DE 2012 eu só li um livro por mês... :(

9- Já ficou sem inspiração para postar? Como superou isso?

Várias vezes. Eu esperei. Quando a hora chega, eu escrevo vários post de uma vez....

10- Pretende mudar algo no blog em 2013?

Mudar, acho que não, mais acrescentar projeto e sorteios, isso sim...

Regras da Tag:

Os blogs tagueados devem responder 10 perguntas;
Terão de indicar 10 blogs que também devem ser tagueados;
Os blogs escolhidos para a entrevista devem ter pouco membros aconselho menos de 200 (pois o intuito é de fazermos com que eles sejam mais vistos, e unirmos mais os blogs).

Blogs Tagueados:

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

DIA LINDO


Tem dias que, não sei dizer, parece um conto de fadas. Você acorda com o som dos passarinhos, você ouve o galo cantando. A luz do dia, você sabe que é a mesma, mas parece mais radiante. O capim esta verde e brilhante, o orvalho ainda ocupa as pontas das folhas. As flores possuem uma cor forte e intensa. O dia, esta lindo.
Em uma cadeira de balanço é possível viajar no tempo, sair de orbita. Seus pés descalços toca o chão barrento e ao invés de se preocupar com toda aquela sujeira, você pula, e pula mais uma vez, igual a uma criança brincando na chuva. A infância, que outrora estivera perdida dentro de você retornou.As coisas mais simples são belas novamente. Seus olhos brilham de tanto prazer.Você se diverte com as brincadeiras de infância, relembra cada regra e percebe que tem coisas que você nunca esquece. É só deixar as horas passarem e aproveitar cada segundo do tempo. Dia Lindo. Mais um dia para ser guardado com muito prazer nas minhas memórias. Minhas relíquias.



domingo, 10 de fevereiro de 2013

O PAPAI NOEL QUE NUNCA CONHECEMOS



Sou a filha mais velha de “uma família de 6” (como diz minha irmã.. rs). Somos 4 irmãos, papai e mamãe. A gente nunca teve uma arvore de natal quando criança, por motivos como: não cabia na casa, a minha irmã tinha alergia, a gente ia estragar... também nunca tivemos a presença de um papai noel animando a nossa ceia.
Mas verdade é que nós não tínhamos dinheiro para tais regalias. Tivemos uma infância um pouco restrita, talvez porque o meu pai e a minha mãe tinha que trabalhar muito pra nos dar o que comer e o que vestir e isso não permitia que eles tivessem tempo e dinheiro para comprar coisas desnecessárias.
Sobretudo, nunca nos faltou o presente de natal e de aniversário, ainda que fosse uma simples lembrancinha, mas sempre tinha algo pra cada um.
Aquele natal seria diferente. A mãe falou que naquela noite não teria presentes, porque tinha sido um ano difícil e não tínhamos dinheiro. Ficamos tristes, como toda criança, mas entendemos. Se não ia dar, não ia dar, e pronto! Ninguém chorava, esperneava ou ficava de bico, por que nada disso ia adiantar.
Sendo assim, comemos, brincamos, assistimos TV e perto da meia-noite a mãe falou:
- Vamos pra cama! E durmam de janela aberta! Quem sabe o papai noel passa por aqui e deixa uma lembrancinha pra vocês, se sobrar!
A gente não sabia, mas daquele dia em diante seria difícil acreditar que papai noel não existia. Morávamos uma casa em que o terreno teve que ser aterrado porque era muito baixo em relação ao nível da rua, o que nos da um quintal de “dois andares”, a parte dos fundos era bem baixa e não tinha como ninguém subir pela janela, era impossível.
Ainda assim, abrimos a janelas e dormimos. Na manhã seguinte, cada um tinha um embrulho no pé da cama. Acordamos alvoroçados abrindo os presentes e olhando o presente uns dos outros e perguntamos pra mãe e pro pai:
- Mas quem trouxe esse presente?
Sorrindo a minha mãe disse:
- Papai noel, ué! Quem mais poderia ser!?
- Mas como ele chegou aqui? – Perguntamos.
Corremos e olhamos pela janela, com a esperança de encontrar alguma pista de que ele teria estado ali e pra nossa surpresa a touca do papai noel tinha ficado enroscada nos arbustos do “segundo piso” do quintal!
- Olha! Ele esteve aqui mesmo! Tem uma touca! Anda, vamos pegar! – Gritei para meus irmãos que saíram, assim como eu, desesperados para pegar o objeto.
Pegamos a touca e acreditem até meus 13 anos eu ainda tinha duvidas se o papai existia ou não! Rsrs.


Obs: Esse é o nosso primeiro post do projeto Revele Seu Mundo, essa história foi enviada pela Regina Ramos Pimentel. Participe, mande a sua também.