domingo, 10 de fevereiro de 2013

O PAPAI NOEL QUE NUNCA CONHECEMOS



Sou a filha mais velha de “uma família de 6” (como diz minha irmã.. rs). Somos 4 irmãos, papai e mamãe. A gente nunca teve uma arvore de natal quando criança, por motivos como: não cabia na casa, a minha irmã tinha alergia, a gente ia estragar... também nunca tivemos a presença de um papai noel animando a nossa ceia.
Mas verdade é que nós não tínhamos dinheiro para tais regalias. Tivemos uma infância um pouco restrita, talvez porque o meu pai e a minha mãe tinha que trabalhar muito pra nos dar o que comer e o que vestir e isso não permitia que eles tivessem tempo e dinheiro para comprar coisas desnecessárias.
Sobretudo, nunca nos faltou o presente de natal e de aniversário, ainda que fosse uma simples lembrancinha, mas sempre tinha algo pra cada um.
Aquele natal seria diferente. A mãe falou que naquela noite não teria presentes, porque tinha sido um ano difícil e não tínhamos dinheiro. Ficamos tristes, como toda criança, mas entendemos. Se não ia dar, não ia dar, e pronto! Ninguém chorava, esperneava ou ficava de bico, por que nada disso ia adiantar.
Sendo assim, comemos, brincamos, assistimos TV e perto da meia-noite a mãe falou:
- Vamos pra cama! E durmam de janela aberta! Quem sabe o papai noel passa por aqui e deixa uma lembrancinha pra vocês, se sobrar!
A gente não sabia, mas daquele dia em diante seria difícil acreditar que papai noel não existia. Morávamos uma casa em que o terreno teve que ser aterrado porque era muito baixo em relação ao nível da rua, o que nos da um quintal de “dois andares”, a parte dos fundos era bem baixa e não tinha como ninguém subir pela janela, era impossível.
Ainda assim, abrimos a janelas e dormimos. Na manhã seguinte, cada um tinha um embrulho no pé da cama. Acordamos alvoroçados abrindo os presentes e olhando o presente uns dos outros e perguntamos pra mãe e pro pai:
- Mas quem trouxe esse presente?
Sorrindo a minha mãe disse:
- Papai noel, ué! Quem mais poderia ser!?
- Mas como ele chegou aqui? – Perguntamos.
Corremos e olhamos pela janela, com a esperança de encontrar alguma pista de que ele teria estado ali e pra nossa surpresa a touca do papai noel tinha ficado enroscada nos arbustos do “segundo piso” do quintal!
- Olha! Ele esteve aqui mesmo! Tem uma touca! Anda, vamos pegar! – Gritei para meus irmãos que saíram, assim como eu, desesperados para pegar o objeto.
Pegamos a touca e acreditem até meus 13 anos eu ainda tinha duvidas se o papai existia ou não! Rsrs.


Obs: Esse é o nosso primeiro post do projeto Revele Seu Mundo, essa história foi enviada pela Regina Ramos Pimentel. Participe, mande a sua também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário