sábado, 23 de março de 2013

FOLHAS DE OUTONO



Ao ver as folhas caindo no chão, percebo que o tempo passou. Minhas memórias vêm à tona liberado pelo gatilho do outono. Sua voz ecoa pelo vento. Ainda consigo ver seus pés pisarem em cima das folhas secas. O vento balançar sua roupa e os pequenos pelos do seu braço arrepiar.
Sinto você caminhando do meu lado, consigo sair desta orbita e sentir você de novo. A multidão que me rodeia não tem nenhum significado, seu vulto e seus cabelos pretos balançando é o que me interessa. Preciso ouvir seus conselhos.
Caminhos que traçamos juntos são lembranças que se ativam na minha mente,  e por alguns instantes você volta para perto de mim. Consigo ouvir sua voz sussurrar nos meus ouvidos. E quando eu percebo estou falando em voz alta no meio da treze de maio.
Não consigo chorar, paro e solto um sorriso. Você sempre vai estar comigo, pois eu sou parte de você. As transformações ocorreram, entretanto meu amor por você será eterno. Ninguém, jamais poderá tomar o seu lugar no meu coração. Pode tentar de várias formas te imitarem, mas nunca conseguiriam chegar a excelência de um original.
Quando as fotos desbotarem e eu não conseguir mais se lembrar dos fatos, o outono se encarregara de te trazer você de volta para perto de mim. Fará-me lembrar que as estações passam, assim como a vida, e cada estação tem sua característica peculiar. No outono você vem com as folhas e o vento, no inverno com o frio, na primavera com o florescer das plantas, e no verão com o sol escaldante. Você sempre é lembrada, os pontos de gatilhos são diversos. Estarei sempre conectada com você.  Porque pra mim você sempre sera eterna, mãe, até meu último suspiro. 

3 comentários:

  1. Você com seus lindos textos, amei :)

    Beijos,
    sonhando-com-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que lindo...
    de fazer os olhos marejarem....
    lindo.
    bjs!

    relicariodasrafleur.blogspot.com

    ResponderExcluir