segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Cálice amargo X Minha Profissão

​​Há três anos, antes do anoitecer eu saia da Unicamp, com dor no coração, pois sabia que minha mãe iria partir... Descansar.
Naquela época eu não relacionei a data com a minha profissão... Não relacionei que no mesmo dia eu lembraria da sua morte com tristeza e também me alegraria por ter tido uma mãe que sempre pensava léguas a frete de mim. Se posso dizer hoje que sou professora, foi porque você soube intervir na hora certa. Naquela época eu insistia em um sonho que infelizmente era muito difícil de se concretizar no tempo que eu pretendia. Você sabia do que eu realmente precisava, sempre me incentivou a correr atrás dos meus sonhos, dar o máximo de mim para tudo que fizer.
Foi você mãe que mostrou outro caminho sem eu querer e conseguiu mostrar que nem tudo é do jeito que queremos, mas Deus sempre tem o melhor reservado para nós. Você conseguiu tirar um sorriso de uma pessoa que estava totalmente desiludida e achava que só o que restava na vida era ser mascate. Profissão que sabia fazer desde meus treze anos. Foi você quem correu atrás de tudo e me levou até a faculdade.
Você também deixou com seu simples gesto uma mensagem que pretendo levar comigo: "quando uma porta se fecha aqui, outra porta se abre ali, eu preciso confiar mais em Deus, pois é ele quem cuida de mim". Foi preciso muito tempo para entender que preciso viver intensamente e agradecer a Deus por tudo que tens feito na minha vida. Por estar sempre suprindo minhas necessidades. 
É claro que gostaria de poder contar tudo para você mãe, contar onde seu incentivo me levou e está me levando, contar sobre seu lindo neto, mas eu sei que isso não é possível. Entretanto sei que um dia nós iremos nos encontrar de novo... E Deus enxugará dos meus olhos todas as lágrimas e não haverá mais dor e nem pranto. Quando esse dia chegar terei muitas coisas para te contar!  


sábado, 12 de outubro de 2013

Giz, merthiolate, band-aid, sabão - Crianças, arte e birra.



Provérbios 22:6 "Ensina a criança o caminho que deve andar e ainda quando for velho, não se desviará dele.”

Educar. Tarefa que envolve entre outras coisas amor, sabedoria, respeito e pulso firme. No momento estou achando essa tarefa muito difícil, nunca imaginei que poderia ser doloroso as vezes, corrigir meu filho. O peso da responsabilidade de saber educar, esta me fazendo questionar meus atos. O meu filho está consumindo todas as alternativas, sigo por um caminho e não consigo ver resultado, busco outro e também não consigo enxergar efeito. Sabe aquela sensação de que tudo que você faz, não está certo ou que não é suficiente, bom, é assim que me sinto.

As artes e as birras são tantas que se o contrariamos, além de chorar, espernear, ele vomita. Esse é aquele momento que eu entro em desespero, pois na maioria das vezes ele engasga feio. As pessoas que me rodeiam falam que é normal, que tudo vai passar, mas porque eu só vejo o Lucas, cair no chão e se espernear e chorar até chegar no ponto de vomitar?

Nossa como eu queria ouvir minha mãe nestas horas, saber sua opinião, sua sabedoria e experiência em lidar comigo, que também não fui uma criança fácil de criar. Só queria saber se também fazia tudo que o Lucas faz, com apenas 1 ano e cinco meses...

Neste dia das crianças, gostaria de deixar aqui para a posteridade, minha luta em saber ser mãe de um LUCAS, tomara que seja só uma fase, e que passe logo e ele comece a me obedecer. Será que em algum momento vou sentir que estou fazendo a coisa certa?




Eu sei que as artes estão só começando,todavia é através delas que ele descobre o mundo, mas as birras, essas sim que me incomoda, ele tem que deixar para trás.






"Lápis, caderno, chiclete, pião


Sol, bicicleta, skate, calção

Esconderijo, avião, correria, tambor, gritaria, jardim, confusão


Bola, pelúcia, merenda, crayon


Banho de rio, banho de mar, pula cela, bombom


Tanque de areia, gnomo, sereia, pirata, baleia, manteiga no pão


Giz, merthiolate, band-aid, sabão

Tênis, cadarço, almofada, colchão


Quebra-cabeça, boneca, peteca, botão, pega-pega, papel, papelão




Criança não trabalha, criança dá trabalho

Criança não trabalha..." - Palavra Cantada



FELIZ DIA DAS CRIANÇAS (Que neste dia a nossa criança interior possa aflorar, e possamos ver o mundo com os olhos de uma infância colorida. Que possamos nos alegrar com as coisas simples e sorrir com a vida).